VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM OBSOLESCÊNCIA PROGRAMADA?

Foto: (Shutterstock.com)

Descubra porque o tempo de vida dos seus aparelhos está cada vez mais curto

Certamente, você já se frustrou ao comprar um bem de consumo durável e perceber que em poucos meses após a aquisição, um novo modelo é anunciado, superior a este em recursos e com tecnologia mais avançada ao que você havia acabado de tirar da caixa.

Exemplos: você leva para a sua casa uma enorme TV de LED 4K e em 6 meses, seu amigo compra uma parecida, porém, já com o recurso HDR (que a sua não tem) ou o mesmo pode acontecer com um receiver A/V sem suporte ao comando de voz, por exemplo.

Esse mote se aplica a qualquer bem durável. O carro que você trouxe para a garagem pode estar defasado por não ter controle de estabilidade, central multimídia ou Isofix, o smartphone não tem painel OLED e a capacidade de memória foi consumida rapidamente exigindo mais espaço, e assim acontece com diversos outros produtos que poderiam ser citados nesta matéria.

Acreditem, essa é a dura realidade do consumidor moderno, que sofre (e paga alto) para manter-se atualizado com as tendências e novidades do mercado de eletrônicos. A obsolência programada é uma técnica utilizada há muito tempo por todos os fabricantes de bens de consumo duráveis, incentivando o rápido consumo e descarte dos produtos recém comprados alimentando e acelerando o ciclo de produção das indústrias e obviamente gerando lucros proporcionalmente mais elevados, que é o escopo de qualquer negócio.

Para entender melhor como funciona a obsolência programada, através de exemplos práticos do seu cotidiano, além de ver outras matérias sobre tecnologia, clique aqui e seja um assinante da Áudio & Vídeo.

Veja Também