OS MACACOS ESTÃO CERTOS!

0

Último capítulo de uma trilogia iniciada em 2011, Planeta dos Macacos – A Guerra confirma a perene atualidade de uma das franquias mais bem-sucedidas da Fox

Por Eduardo Torelli Fotos Divulgação

Há quase 50 anos, o clássico O Planeta dos Macacos revolucionou a ficção científica e deu início a uma das franquias cinematográficas mais bem-sucedidas de todos os tempos. Na cola da famosa produção estrelada por Charlton Heston (e por um bando de símios falantes que marcou época, como os simpáticos chimpanzés cientistas Zira e Cornelius) vieram quatro continuações, duas séries de TV e uma enxurrada de artigos de consumo inspirados no longa-metragem (camisetas, histórias em quadrinhos, bonecos, canecas e tudo o que você imaginar).

Mas o que é realmente surpreendente no que diz respeito à saga dos macacos é que, em pleno ano de 2017, filas quilométricas ainda se formam nas portas do cinema cada vez que um longa-metragem da série é lançado. Que o digam os produtores de Planeta dos Macacos – A Guerra, filme que arrecadou mais de US$ 480 milhões nas bilheterias e que estréia este mês em Blu-ray e DVD, pelo selo Fox.

SÍMIOS DIGITAIS

A Guerra é o derradeiro capítulo de uma trilogia inspirada no universo do Planeta dos Macacos e que foi iniciada em 2011, com o excelente Planeta dos Macacos – A Origem. Diferentemente dos filmes originais (produzidos nos anos 1960 e 1970) e de um remake não muito popular dirigido por Tim Burton em 2001, esses novos longas-metragens usam a captura de movimentos e o CGI para transformar atores em símios falantes e evoluídos (o que, até então, era feito por meio de uma elaborada maquiagem artística). O ator Andy Serkis interpreta o herói da trilogia, César, um chimpanzé superinteligente que lidera os seus semelhantes em uma batalha épica contra o Homem (que, no futuro próximo, é vitimado por um vírus fabricado em laboratório e está à beira da extinção).

Nos filmes anteriores, César se tornou um tipo de “Moisés” dos macacos (que adquiriram o poder de pensar e falar ao inalarem um composto experimental criado por cientistas humanos para erradicar a Doença de Alzheimer), conduzindo-os para as florestas em busca de um lar que possam chamar de seu e resistindo aos ataques dos humanos, que não querem dividir o planeta com outros seres racionais. Em A Guerra, os símios estão perto de encontrar a sua “terra prometida” – mas, antes de fazê-lo, terão que enfrentar um inimigo impiedoso: o alucinado Coronel McCullough (Woody Harrelson).

Para ler o artigo completo, baixe gratuitamente a nova edição da Áudio & Vídeo – Design e Automação aqui.

Veja Também