BOM GOSTO + TECNOLOGIA

Sim, é possível conjugar desempenho e discrição: opte pelos melhores equipamentos sem transformar sua sala em um “estúdio de gravação”

Por Fabio Tucci

Todos nós temos nossas preferências bem definidas no que se refere à decoração da casa, gosto musical, gêneros de filmes prediletos etc. E quando aliamos uma certa dose de “personalidade” ao bom gosto (adaptando tal característica ao ambiente), fazemos valer um estilo de vida mais independente das regras que a indústria e a mídia tentam nos impor.

No que diz respeito às tecnologias que garantem o entretenimento em nossos lares, as variáveis podem ser inúmeras, devido à infinidade de marcas e modelos de Smart TV (telas planas ou curvas), caixas acústicas, receivers, telas, projetores e sistemas de automação residencial disponíveis. Mas, seja qual for o seu estilo de decoração – clean, funcional, despojado ou vintage –, a escolha dos equipamentos, quando feita por um profissional da área, entrega um resultado superior. Havendo o apoio de uma empresa integradora de sistemas residenciais, o projeto ganha em precisão, know-how técnico e longevidade, já que não haverá a troca prematura dos componentes.

 

SEM COMPLICAR

Como exemplo, falemos do subwoofer (e de como evitar que este se transforme em uma mesa de apoio para abajur ou vaso, como acontece em alguns casos!). Já existem soluções que permitem que a peça fique 100% oculta sem perder sua eficácia: bastam alguns acertos, que devem ser observados no projeto do móvel. A ideia é apenas “sentir” os sons graves, sem saber exatamente de onde vêm as baixas frequências.

Quando o estilo da casa e dos moradores é mais jovial (e não há a necessidade de esconder os aparelhos eletrônicos na decoração), há menos complicações, já que o resultado final do sistema será superior. Caixas acústicas do tipo torre (as melhores em termos de sonoridade) oferecem um resultado imbatível. Este conceito vale para a audição em estéreo e para filmes, envolvendo ainda mais o espectador no conforto do seu cinema doméstico.

No que se refere a estas caixas, a variedade de modelos (bem como a qualidade dos acabamentos disponíveis) impressiona muito. Acabamentos como o high gloss, ou pinturas exclusivas (na cor que o cliente desejar), elevam as caixas acústicas frontais à categoria de “objetos de desejo” para os amantes de boas audições. E, quando combinadas com o móvel dos equipamentos, conferem um estilo ousado ao ambiente, evidenciando a personalidade dos moradores.

Atualmente, os equipamentos de áudio e vídeo diminuíram de espessura (no caso das TVs e receivers) e de quantidade (players de mídias físicas, como CDs, Blu-rays e DVDs, aos poucos estão sendo substituídos por serviços de vídeo on-demand e de streaming de música). Isto vem liberando cada vez mais espaço nos móveis e estantes, deixando a área visual mais limpa.

 

VISUAL ÍMPAR

Entretanto, se você almeja um dos equipamentos “queridinhos” do momento – o toca-discos de vinil (para, além de ouvir as clássicas “bolachas” pretas, admirar a peça em si) –, encontrará uma variedade de equipamentos fantásticos, com gabinetes em acrílico, aço escovado, folhados em madeira, com bandeiras de países e até modelos verticais, de visual ímpar.

Projetores específicos para uso residencial, com alto contraste, também ficaram menores e mais discretos, o que facilita sua exposição. Assim como as caixas acústicas de embutir anguladas e sem molduras aparentes, com excelente relação custo x performance, que não ocupam espaço na sala.

Considerando que o mais importante é o prazer proporcionado pelo resultado sonoro e visual, assim como a integração de todo o conjunto com a decoração (sempre privilegiando a parte acústica, imprescindível em qualquer projeto de ponta), há soluções incríveis de painéis difusores e absorvedores específicos para compor a decoração da sala. Desse modo, mesmo bem-equipada, ela não ficará parecendo um “estúdio de gravação”!

Veja Também