A ERA DO “HDR”

O próximo passo evolutivo na indústria das Smart TVs e 4K é a tecnologia HDR (High Dynamic Range), que tornará as cores e o contraste desses equipamentos imbatíveis. Mas será que todas as TVs podem suportá-lo?

Texto: Redação
Imagens: Divulgação

As Smart TVs e 4K já conquistaram o consumidor com seus muitos recursos e conectividade. Mas esses equipamentos ainda não mostraram todo o seu potencial: sua evolução segue em 2016, com o anúncio do HDR (High Dynamic Range), ou alto contraste dinâmico, uma tecnologia que promete ainda mais contraste e fidelidade de cores. Ou seja: o que já é “excelente” ficará ainda melhor.

O sistema foi um dos temas que repercutiram na última edição da Consumer Electronic Show (CES), realizada no início do ano em Las Vegas (EUA), e será embarcado em alguns novos modelos de TV. Mas o professor de Engenharia Elétrica da FEI, Marcelo Parada, lembra que, para suportar a tecnologia HDR, os equipamentos devem estar aptos a processar vídeos de 10-bits de cor.

“Falamos de uma possibilidade de 1,07 bilhões de cores, muito superior à das TVs de 8-bits de cor que permitem 16,7 milhões de cores e que constituem a grande maioria do mercado atualmente”, esclarece Parada.

Equipamento de ponta, conteúdo idem

O especialista faz uma comparação com os televisores 4K e 8K, que só mostram a totalidade de seu potencial quando reproduzem atrações compatíveis com tais padrões de imagem. Ou seja: não basta a TV possuir o suporte HDR. O conteúdo também precisa ser preparado para esta tecnologia, ou o usuário não se beneficiará de suas vantagens. Um novo selo (conhecido como Ultra HD Premium) foi criado no início do ano justamente para padronizar equipamentos 4K que também suportem o HDR.

“Para receber este selo, a TV precisará atender a alguns requisitos tecnológicos, como um valor mínimo de taxa de contraste e paleta mínima de cores, bem como suporte ao 4K”, prossegue Marcelo Parada. “O selo também será utilizado por Blu-rays e vídeos disponibilizados em outros formatos, para sinalizar que são compatíveis com a tecnologia embarcada no televisor.”

Lembrando que, além do HDR, outras atrações da Consumer Electronic Show (CES) 2016 foram as tão comentadas TVs de OLED que podem ser “dobradas”, assim como novos modelos de televisores 4K e 8K. “Cada vez mais usuários adotam serviços de vídeo via IP (Internet Protocol), nova forma com que os conteúdos são disponibilizados e recebidos pelos televisores via Internet”, conclui o especialista. “Por este motivo, a demanda pelas Smart TVs, que já são um grande sucesso de mercado no mundo todo, nos próximos anos, com a melhoria do acesso de banda larga de qualidade para uma maior parcela da população, deverá crescer ainda mais no Brasil.”

Post a Comment

You don't have permission to register

Cadastre-se e faça parte de nossa lista VIP!

Obtenha vantagens e descontos especiais de nossos parceiros.