GLOBO FECHA PARCERIA COM SONY, NHK E INTEL, PARA TRANSMISSÃO DO CARNAVAL 2018

Foto: (ShutterStock.com)

Com captação em UHD e áudio imersivo, a emissora aposta em alta tecnologia e qualidade na transmissão

Quando se fala em assistir aos desfiles das Escolas de Samba na TV, durante o Carnaval, ter uma boa qualidade de imagem e som são fundamentais para curtir à festa. Pensando nisso, a rede Globo resolveu inovar, trazendo uma tecnologia experimental para transmissão de áudio e vídeo, que dará ao espectador a sensação de estar no meio do sambódromo.

Para isso, a emissora carioca firmou uma parceria com a Sony e a NHK, serão feitas imagens dos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, em 8K 120 p. Através da alta tecnologia dos servidores, câmeras e lentes dos produtos Sony, as imagens vão trazer muita realidade durante a transmissão dos desfiles, dando uma sensação ao espectador de que ele está no meio da Sapucaí.

“Uma unidade móvel posicionada na dispersão do Sambódromo ficará responsável por toda a operação, monitoração e gravação do material captado. Esse teste, além de inovador, pauta importantes discussões até que essa tecnologia esteja disponível para o público em geral”, afirma Marcelo Bossoni, gerente de operações de Tecnologia do Entretenimento da Globo.

E se você é adepto de tecnologias inovadoras, além dos produtos da Sony, nos desfiles das escolas do Rio de Janeiro, haverá gravações de alguns trechos das apresentações em 8K 360° em parceria com a Intel. Com uma tecnologia que proporcionará altíssima resolução, a experiência em realidade virtual dará a sensação de estar dentro do Sambódromo. Com o uso de um microfone especial, o som também será captado em 360º, garantindo que o áudio se manifeste em sincronismo com a imagem, quando reproduzido com os óculos de VR.

Outra grande preocupação da Globo, foi oferecer ao telespectador uma excelente transmissão de áudio. Nos desfiles de São Paulo, por exemplo, um sistema de mixagem remota e transmissão em Dolby ATMOS, vão captar os sinais dos 54 canais de áudio e serão levados por fibra do sambódromo até a emissora, onde serão mixados. O formato que será testado, Atmos Live, permite a criação de até cinco canais de ambiente, um canal de sub efeitos e até dez objetos sonoros que podem ser colocados livremente no espaço ao redor do ouvinte. Vale ressaltar ainda que, essa experiência, já foi feita no Rio em 2017, com bastante sucesso.

De acordo com Carlos Ronconi, assessor de áudio da Globo, a estrutura do sambódromo permite uma excelente qualidade na hora de transmitir um áudio imersivo (que tenha uma boa qualidade de som em qualquer aparelho de TV, desde os mais modernos, aos mais antigos).

“A imersão no samba é total, com o som vindo de todos os lados e de cima. A mixagem remota permite mais controle e processamento dos sinais num ambiente mais familiar e controlado”, afirmou.

 

 

 

Veja Também